Nossos escritórios e parceiros internacionais

Para informações mais detalhadas, clique nos centros culturais e escritórios abaixo. Para maiores informações sobre a sede em Zurique, favor acessar: www.prohelvetia.ch

Incidencias Sonoras IN/OUT Festival 05.09

«CONEXÃO ROSETI – AUDIO REBEL – LATINO POWER» (ARGENTINA, BRASIL, AND COLOMBIA)
17h30 CO
18h30 CL – BO
19h30 AR-BR-UY
00h30 CH

QUANDO?

05.09
Fusos:

17h30 CO
18h30 CL – BO
19h30 AR-BR-UY
00h30 CH

TALKS
Union and Cultural Exchange in Times of Social Isolation

 

«Conexão RosetiAudio RebelLatino Power» é a união de forças de três espaços musicais que trabalham com música avançada, experimental e improvisada, de três países da América do Sul, através de três sessões de improvisação ao vivo on-line, reunindo artistas dos três países. Na parte educacional do projeto, os parceiros fundadores do local terão uma conversa sobre o surgimento dos respectivos espaços culturais, e os desafios atuais em sua gestão em tempos de pandemia.

Respectivamente de Buenos Aires, Rio de Janeiro e Bogotá, Roseti, Áudio Rebelde e Poder Latino, são reconhecidos por suas intensas agendas e atrações requintadas, compartilhando uma longa história de apoio a artistas locais e internacionais. Inovar, apostar na vanguarda e dar espaço aos autênticos artistas e autores contemporâneos, que reinventam suas tradições e linguagens, é uma marca que une estes espaços, além de estar atenta à diversidade de gênero, identidade e culturas.

Roseti (2015) nasce como um espaço de treinamento, pesquisa e exposição, dentro das artes cênicas e musicais. A direção artística e a produção executiva do local está a cargo dos irmãos Juan e Matías Coulasso. Ao longo destes intensos 5 anos de vida, o espaço acolheu todo tipo de propostas e projetos artísticos, desenvolvidos por artistas de destaque, da cena local e internacional. Ao longo da semana, centenas de alunos passam por Roseti tendo aulas regulares de atuação, criação de palco, encenação, dança contemporânea, treinamento físico e dramaturgia. Em paralelo, o espaço hospeda empresas que ensaiam seus espetáculos. Nos fins de semana, Roseti se transforma em um espaço de exposições para bandas e peças teatrais, dança e apresentações.

Operando desde 2005, Audio Rebel já recebeu grandes nomes da música nacional e internacional, como as lendas do punk Ian Mackaye e Joe Lally (Fugazi); grandes músicos de jazz nacionais, como Hélio Delmiro e Idriss Boudrioua; ícones internacionais do jazz como Peter Brötzmann, Paal Nilssen-Love (A Coisa), Frode Gjerstad, Matana Roberts e Peter Evans; de música experimental da Indonésia, com Senyawa; do Japão, com Tatsuya Yoshida e Otomo Yoshihide; nomes da música brasileira como Arto Lindsay, Jards Macalé, Jorge Mautner e Arrigo Barnabé; rappers como Emicida, e Projota, e a nova música popular brasileira de Passo Torto, Negro Leo, Ava Rocha, Metá Metá, Juçara Marçal, Siba, Cidadão Instigado e muitos outros.

Como muitos projetos, esta história começou com o fim de outro. Quando o Piso3, palco que se tornou pioneiro no apoio às bandas emergentes no underground da capital colombiana, chegou ao fim, o cenário ficou bastante órfão por alguns anos, até que um novo sonho nasceu. O Poder Latino é uma sala de concertos colocada em Bogotá que pode receber cerca de quatrocentas pessoas. O projeto se tornou realidade em 2010 e desde o início visava dar lugar à nova música colombiana. A idéia sempre foi ter um espaço com grande som e bom atendimento ao público. Desde julho de 2010, a cada semana o local propõe concertos dando lugar a diferentes gêneros musicais como música eletrônica, hip hop, rock, latina, mas especialmente a música colombiana. O Latino Power é também um dos poucos palcos que serviram de stand para algumas bandas européias da França, Suíça, Espanha, e assim por diante.

Trios:

Ana Maria Ruiz (CO), Jose M. Hernandez (AR) e Luisa Lemgruber (BR)

Carlos Quebrada (AR), Kike Mendoza (CO)e Thomas Harres (BR) 

Ana Maria Romano (CO), Carola Zelaschi (AR) e Marcos Campello (BR) 


bios e links

Ana María Romano (Colômbia) é uma compositora e artista sonora. Seu interesse na exploração sonora a levou para áreas onde os sons e silêncios são comuns.

Ana Ruiz Valencia (Colômbia) é uma violinista que está baseada em Bogotá e Medellín. Seu trabalho inclui uma ampla gama de referências, incluindo ruído, improvisação livre, e a tradição clássica ocidental.

Carlos Quebrada (Argentina) é um baixista e compositor que também dirige o projeto experimental de eletrônica e voz estendida Genosidra.

Carola Zelaschi (Argentina) é musicista, compositora, arranjadora e produtora, baterista de Blanco Teta, Lucy Patané, Tomás Aristimuño e Kaleema.

Kike Mendoza (Colômbia) é compositor, improvisador violonista, professor e gerente cultural, que ocupa um lugar central na cena musical experimental de Bogotá.

Luisa Lemgruber (Brasil) é uma artista sonora. Sua pesquisa gira em torno da fragilidade das paisagens e da relação entre natureza e sociedade.

Marcos Campello (Brasil) é compositor, músico, arranjador e produtor. Mestre em Composição pela UFRJ. Acompanhe a cantora Ava Rocha .

Thomas Harres (Brasil) é baterista e percussionista, acompanha músicos como Gilberto Gil, Céu, e Negro Leo.

Jose M. Hernandez (Argentina) Metade do projeto ÑÑÑÑÑÑ, uma banda cult de música eletrônica experimental no underground argentino, Jose M. Hernandez com o projeto solo XNIDAAAAA concentra a atenção no design de som e ritmos caóticos quebrados, liquidificando-os com IDM, hip-hop, ambiente, drone, ruído, eletrônica, paisagens narcóticas, psicodelia, melodias errantes e vertigens tonais.